domingo, 29 de abril de 2012

A história da Nordeste contada por um viajante em 2003

Navegando pela internet, encontrei um site (Asas da Bahia) e encontrei um lindo material sobre a Nordeste Linhas Aereas e então decidi postar aqui no blog! Alexandre Alves é o autor desse belíssimo texto! Confiram:


Em 1976 o Governo Brasileiro criou o SITAR (Sistema Integrado de Transporte Aéreo Regional), destinado a criar empresas regionais para explorar rotas abandonadas pelas grandes companhias! Nascia assim a NORDESTE LINHAS AÉREAS, filha da TRANSBRASIL, VOTEC e GOVERNO DA BAHIA! Sua missão? Ligar o Nordeste ao Sudeste, para isso herdou 5 Bandeirantes da TRANSBRASIL, matriculados PT-TBA, TBB, TBC, TBD, TBE. Porém pelos próximos 19 anos a Nordeste seria uma simples regional... mas o futuro lhe reservava algo muito melhor...
A Nordeste foi fundada em 9 de Junho de 1976 e logo iniciou suas operações. Porém com o passar dos anos a VOTEC e TRANSBRASIL saíram da sociedade, deixando o governo Baiano com o controle total da empresa. A empresa ainda teve o azar de perder uma de suas aeronaves logo no seu primeiro ano de operação! Na década de 80 o governo tentou "se livrar" da empresa vendendo-a para o empresário Otto Lima, porém houve uma paralisação dos funcionários e a empresa voltou a batuta governamental. Em fins dos anos 80 e início dos anos 90 a empresa foi adquirida pelo Grupo Coelho, coincidentemente grupo pertencente ao Governador Nilo Coelho.

A empresa durante a década de 90 sentiu o gosto do progresso, com a incorporação do saudoso Embraer 120 PT-SRF. O mais interessante é que nesta época a empresa pegou "emprestado" o esquema de pintura da DLT da Alemanha e passou a se identificar como NLA, chegando a pintar alguns de seus aviões assim. Em 1992 foi a vez de criar asas e fama ao testar por curto período e assinar a encomenda de 3 Fokker 50, apenas se concretizou o teste...
A encomenda dos 3 Fokker 50 não virou realidade e a empresa apenas adotou outro Embraer 120, matriculado PT-SIH. A Nordeste a esta altura já realizava ligações importantes dentro do estado, ligando importantes cidades do interior a Salvador e ligando a capital a destinos nobres no sul do país como Rio, São Paulo, Belo Horizonte. A empresa sofreu intervenção governamental e voltou a pertencer ao governo baiano.

A Nordeste sobrevivia a duras penas, extraindo o possível de seus Embraer 120 e 110, sem expectativas de crescimento, porém com boas bases e nichos. O grande problema da empresa eram as recordações dos acidentes sofridos por seus Embraer 110 que simplesmente acabaram com a reputação da aeronave no estado. Mas o simples fato da Nordeste possuir boas bases, rotas e nichos chamou atenção na aviação Brasileira. Em 1995 o Governo da Bahia anunciou a venda da NORDESTE LINHAS AÉREAS REGIONAIS para a RIO SUL!
A RIO SUL então uma empresa de vida independente, porém filha da VARIG, não pensou duas vezes e abriu o cofre para investir na Nordeste, retirando imediatamente os Embraer 110 e trazendo mais Embraer 120 e Fokker 50 e logo em seguida dando o maior presente a empresa, um BOEING 737-500...

A chegada do PT-MNC era a glória da empresa, do alto de seus 19 anos de vida. A aeronave logo foi baseada em CGH, afim de realizar os vôos partindo deste aeroporto para os mais variados destinos da Nordeste, era a vitrine daquela empresa nascida em um 9 de Junho de 1976... mas quem pensa que a Nordeste iria ficar nisso está enganado... a empresa buscou vôos maiores e com eles fez sucesso!
Sob o comando da RIO SUL a Nordeste literalmente recebeu autorização para ascender ao FL390... pois agora a empresa tinha uma cara, um marketing direcionado e sobretudo aviões que impunham respeito ao passageiro, pois no Brasil o passageiro julga o avião pelo tamanho...

Com o 737-500 a Nordeste vislumbrou novos ares, passou a explorar em potencial uma rota que ligava Salvador a Ilhéus ou Porto Seguro e desta pousava em São Paulo e Rio de Janeiro. Uma base em Recife fazia a empresa atender mais ao Norte do Nordeste... os Brasílias eram as estrelas dessa base! Na Bahia Barreiras, Teixeira de Freitas, Vitória da Conquista, Caravelas, Ilhéus, Porto Seguro, Lençóis e Salvador faziam parte do mapa de rotas da empresa! Com a injeção da RIO SUL seu hangar foi logo revitalizado e reformado!
A Nordeste não dormiu no ponto e recebeu mais 2 Boeing 737-500 PT-MND, PT-MNE e com eles passou a abranger mais destinos ainda. A empresa em 1999 aderiu ao padrão VARIG de pintura, com a cauda padrão e o nome NORDESTE estilizado de uma maneira belíssima! Nessa época a Nordeste contava com 6 Fokker 50, 3 Embraer 120 e 3 Boeing 737-500. Em 1999 a VARIG criava a VPTA e "compraria" a NORDESTE da RIO SUL, agora a RIO SUL passaria a ser irmã da Nordeste, em vez de mãe!

A empresa passou a ser presidida por João Roberto Lacerda Sabino, hoje responsável pelo Programa SMILES da VARIG e durante sua gestão a Nordeste implantou novidades no seu serviço, novas rotas, uma agressiva campanha de marketing e sobretudo inovações na comunicação EMPRESA - CLIENTE. Em fins de 2000 suas aeronaves receberam o sticker FELIZ 2001 e esta atitude deu o START de uma série de pinturas em suas fuselagens. Sem falar que a empresa passou a apoiar eventos culturais, aparecer mais na mídia...
Neste parágrafo quero contar um pouco da minha admiração pela Nordeste! Apesar de ter nascido em Teresina-PI, não nego que nasci lá, mas me considero Baiano, pois minha família é daqui e só nasci lá devido a VASP ter transferido meu pai a esta cidade na época! Logo minhas raízes com a Bahia são profundas! Sempre amei aviação, mas acompanhava de camarote no mirante do saudoso Aeroporto 2 de Julho! Pra falar a verdade meus olhos eram destinados somente ao meu grande amor, o Airbus A300 da VASP! Só reparava a Nordeste ao ver seus Embraer 110 sendo tratorados para o hangar. Mas em 23 de Dezembro de 2000 tive o primeiro contato com a empresa, iria voar nela, era minha mudança de residência de Salvador para Porto Seguro, portanto o PT-MNE se tornou inesquecível para mim!
Sabemos bem que os funcionários são o cartão de visita de uma empresa e a Nordeste possui tripulantes de primeiríssima, assim não posso deixar de citar nomes de diversas comissárias que tão bem me atenderam nas vezes que voei pela Nordeste... logo Patrícia Andrade, Kelly Moraes, Vanessa Ramos, Viviane Barbosa, Vanessa Valloci, Regina Fonseca, Ana Chamusca, Vânia Brandão, Carine Cruz, Andréa Rodamilaes e me perdoe alguma que venha a esquecer, são pessoas que jamais esquecerei, cada uma com sua importância, seu significado! O meu elo com a Nordeste era de muita admiração, cada vez maior devido a cordialidade de seus tripulantes e o PT-MNE não só me trouxe naquele 23 de Dezembro, como me proporcionou outras alegrias mais durante minha época voadora! Mas voltando a história da empresa...

A Nordeste surpreendeu todos ao passar a VENDER espaço publicitário em suas aeronaves e logo o PT-MNH exibia o anúncio do jornal GAZETA MERCANTIL, posteriormente a BR AVIATION anunciou em 2 aeronaves (MNE, MNH) e por último o jornal VALOR ECONÔMICO (MNJ) anunciou na empresa. A Nordeste também passou a dar descontos, voar com jatos para Fernando de Noronha e outras facilidades a seus clientes. Sem falar que apresentava resultados positivos nos seus balanços financeiros!
A empresa iniciou um programa de renovação de frota, retirando seus Fokker 50 e Embraer 110 e incorporando Boeing 737-300 (PT-MNJ, MNK, MNL). A Nordeste que já operava 3 Embraer 145 da RIO SUL então anunciou que iria absorver todos Embraer 145 da ex-empresa mãe. Porém cabe lembrar que a VARIG, raiz de tudo não passava muito bem e em 2 de Setembro de 2002 a VARIG anunciou que estava se fundido operacionalmente com a NORDESTE e RIO SUL, afim de otimizar serviços (especialmente sobreposição de vôos), cortar custos, enfim a VARIG partia para uma atitude em busca da sobrevivência! A Nordeste então que receberia seu 4º B737-300 (PT-MNM) não o recebeu e seus aviões foram transferidos as operações da RIO SUL (737-500) e VARIG (737-300) e passou a operar os Embraer 145 da frota do grupo.
Hoje não sabemos se a Nordeste existe ou não! Existe na pintura de 7 aeronaves e na assinatura de carteira de vários trabalhadores, mas a pergunta é O QUE É A NORDESTE? Não sabemos responder, talvez nunca encontremos a resposta, mas sabemos que foi a empresa que deu a BAHIA a condição de ESTADO com linha aérea...
Para mim a Nordeste é mais que uma empresa baiana, é a empresa onde vivi emoções, onde passei a amar o Boeing 737-500, pela sua valentia e disposição em voar, é a empresa que vi pousos belíssimos, é a empresa que voei sempre atendido por comissárias belas, sorridentes, eficientes... enfim, como dizia o presidente Sabino ao encerrar suas cartas ESSA É A NOSSA NORDESTE!

Nenhum comentário:

Postar um comentário